quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Jesus ressuscitou ao terceiro dia ?

(Tempo entre crucifixão e a ressurreição)                                                                                                            Ao longo dos séculos, a cristandade tem sido concorde em que Jesus morreu na cruz na tarde de sexta-feira  e ressuscitou na manhã do domingo seguinte.No entanto, nas últimas décadas, alguns têm afirmado que, quando CRISTO disse que estaria três  dias e três noite no coração da terra (MT 12:40) , Ele quis dizer que ficaria no túmulo por 72 horas. Sobre essa  hipótese se constrói a teoria da crucifixão na quarta-feira, o que colocaria a ressurreição no entardecer do sábado. Uma proposta mais recente e menos exata apenas calcula: QUINTA-feira  mais três dias é igual a domingo. Portanto, deve-se examinar as declarações de Cristo sobre o assunto. Quando falou antecipadamente sobre sua morte e ressurreição, Jesus usou várias  frases referentes a três dias, e uma vez sobre  três dais e três noites. Evidentemente, pelo Cômputo moderno ocidental,quando falamos de três dias depois de determinado evento, nos referimos a três dias completos ou mais. Então, três dias completos de 24 horas  após a tarde de sexta-feira, estritamente falando , se estenderiam até á tarde de segunda-feira. O problema,porém, não é o que essas frases podem significa para os ocidentais, mas o que jesus queria dizer com elas e o que seus ouvintes orientais compreenderam por isso.                                                                                                                                                                                                                                            
(O significado de dia)                                                                                                                                  O que Jesus  queria dizer por um dia ? certa vez, Ele falou que o dia tem 12 horas (jo 11:9,10 referindo SE,             obviamente, ao dia, em oposição á noite. Era isso que Jesus queria dizer de fato, pois o povo de seu tempo considerava  o período entre nascer e o pôr do sol dividi do em 12 partes iguais,ou horas, e essas horas variavam de duração conforme a estação.  O fato de hoje se usar as horas  de relógio de duração uniforme,em que, na maioria das vezes, o intervalo entre o nascer e o pôr  do sol tem mais ou menos 12 horas de 60 minutos, não torna a declaração  de Jesus  incorreta.  Da mesma forma, Sua frase três dias deve ser interpretada de acordo com  o que essas palavras significavam para pessoas de Seu  tempo, e não  o que significam  hoje.
 Embora a palavra dia fosse, e é usada, por vezes, para se referir ás horas do dia, no  entanto, a palavra,quando  usada na contagem  de uma série de dias, significa, tanto no uso antigo como no moderno , um período que inclui um dia e noite. A língua grega, em que o NT foi escrito, tinha uma palavra  para dia-noite, nuchthemeron ver(2co 11:25)
O Gênesis enumera cada dia sucessiva da criação composto de tarde e manhã.
O três dias e três noite de Jesus são apenas três dias  como eram entendidos.                                                                                                                                                                                                                                                (Frases diferentes para mesmo período)                                                                                Isso está  claro a parti  do fato  de que  Ele     Se refere em momentos  deferentes ao mesmo período: intervalo  entre Sua morte  e a ressurreição  como três dias, a ressurreição ocorrendo após três dias ou no terceiro dia.
Uma vez, porque citava em Jonas (Jn 1:17)  Ele usou a expressão  três dias  e três noites. A  menos que se acuse Jesus de contradição, é preciso aceitar essas frases como indicando o mesmo período. Mesmo os sacerdotes e fariseus, ao citarem a predição Jesus acerca  de Sua ressurreição depois de três dias, pediram a Pilatos que a sepultura fosse guardada até o terceiro dia, e não até depois do terceiro dia. Obviamente, depois de três dias  significa ao terceiro dia.
Os texto seguintes mencionam esse período de três dias:

Em três dias                                        Depois de três dias                O terceiro dia
MT 26:61,27:40                                    27:63;12:40( e 3 noite)         16:21;17:23;20:19;27:64
MC 14:58 (significado dentro  de)      8:31;9:31;10:34
Lc                                                                                                              9:22;18:33;24:7,21,46
Jo 2:19-21                                    
Então, o que significa essas varias expressões de três  dias ? Podemos descobrir facilmente, comparando-as outras passagens da Bíblia  que se referem  a período de formas semelhastes.                                                                                                                                                                                                                                      ( Três  dias inclusivos)                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                              
     A questão de quanto Jesus permaneceu no  túmulo surgiu de um mal-entendido moderno sobre  a contagem inclusiva do tempo, o antigo método comum de contar. Ele incluía tanto o dia (ou ano) em que qualquer período de tempo começava como também  aquele em que terminava,não importava quão pequena fosse a fração do dia (ou ano) inicial ou final envolvido. Um exemplo desse método  é o período  quando Salmaneser cercou Samaria,tendo começado no  4º
                                                                                                                                                       
ano de Ezequias e o 7º ano de Oseias, e terminado no 6º ano de Ezequias  e o 9º de Oseias,como sendo  ao cabo de  três anos (2Rs 18:9,10;) Evidentemente, foi contado como: 4,5 e 6 ( do reinado de Ezequias), três anos, inclusivos.
Outros exemplos: diz-se que uma criança não tem um ano de idade até depois que ela viveu 12 meses  completos a partir da data de nascimento. Ela passa a ter um ano de idade quando entra em seu segundo  ano de vida, e tem 2 anos após o segundo aniversário.  Assim, ao fim dos 11 anos completos . Não é assim na Bíblia . Noé era, literalmente, um filho de 600 anos  no ano 600 de sua vida ( Gn 7:6,11) embora seus 600 anos não fossem considerados inclusivamente , esses versos mostram que, em seu 600º ano, sua idade era considerada como sendo de 600, e não  599 anos.  Um bebê  hebreu era circuncidado quando tinha oito dias (Gn 17:12 np oitavo dia (Lv 12:3; Lc 1:59 ou quando os oito dias se cumpria  (LC 2:21).  A Bíblia  enumera vários períodos de três dias, que terminaram durante, e não depois, do terceiro dia e , assim, cobriam  menos de trê completos de 24 horas ( Gn 42:17-19  1Rs 12:5,12; 2CR 10:5,12).
Não só entre os hebreus, mas também entre  outros povos antigos, há exemplos  de contagem inclusiva. Isso era comum no Egito, na Grécia e em Roma.
Hoje, esse sistema  ainda é encontrado no Extremo Oriente.  Mesmo em alguns países da Europa, o intervalo de uma semana é referido como oito dias,e se espera que um bilhete de três dias de ida e volta, comprando no domingo, por exemplo, seja usado até a terça-feira. No Japão moderno,até o governo de Mac Arthur mudar o sistema para a conveniência dos compiladores de estáticas de vida, uma criança nascida em dezembro tinha um ano de idade até o restante  do mês e passava a ter dois anos de idade em  1º de janeiro; dois anos significavam ter vivido em dois anos civis, independentemente de quão pequena  tivesse sido a fração do ano. Da mesma forma, no cômputo chinês, uma criança nascida no ano passado tem dois anos de idade neste ano (o segundo ano civil de sua vida) e terá três anos de idade tão logo comece o ano seguinte . Obviamente, essa não é uma contagem literal, mas baseada no conceito  de tempo que vem de um longo uso cultural. Da mesma forma, deve-se ter em mente  os conceitos  culturais da época mantidos no tempo de Jesus.
Visto que o costume comum de contagem inclusiva está comprovado para os hebreus,outras nações antigas e o Oriente, até os tempos modernos, parece incoerente  entende as palavras de Jesus sobres um período de três dias em termo de nosso tempo moderno método  matemático ocidental de contagem do tempo. Pelo uso comum, Seus ouvintes iriam contar os três dias,sucessivamente,como:
1.O dia da crucifixão.
2.O dia após o evento.
3. O terceiro dia depois( que, pela contagem atual,é o segundo dia)
Assim,não se deve insistir que,ao dizer que ressuscitaria após três dias (Mc 8:31), Jesus queria  dizer após o fim do terceiro dia completo, ou depois de 72 horas.   Para isso, Ele teria dito no quarto dia (sobre a frase quatro dias atrás,significando  três dias completos  ou, pelo menos,72 horas, ver com. de At 10:30).
Além disso,não há apenas  uma dedução óbvia, para  o que Jesus queria dizer  com terceiro dia. Ele disse: Ide dizer a essas raposa que,hoje e amanhã,caminhar e depois, porque não se espera  que um profeta morra fora de Jerusalém (Lc 13:32,33) Assim, Ele igualou o terceiro dia como o dia depois de amanhã, o terceiro dia contado inclusivamente.

sábado, 19 de setembro de 2015

A BIBLIA VS Livro dos Mórmon

O Livro de Mórmon, igualmente, possui muitas inexatidões, especialmente quando converificou-se que toda a geografia do livro de Atos foi confirmada pelo ex-cético Sir Williamtrastado com a Bíblia. O jornalista Lee Strobel menciona uma comparação interessante:  Ramsay, de Oxford, enquanto que os lugares e pessoas mencionados no Livro de Mórmon permanecem obscuros até hoje.



Segundo o livro Alma 7:10, Jesus haveria de nascer em Jerusalém (e não em Belém, conforme o registro em Lucas 2:4 e a profecia em Miqueias 5:2).

Helamã 14:20, 27 declara que as trevas cobriram a Terra inteira durante três dias na ocasião da morte de Cristo (e não durante três horas, conforme o registro de Mateus 27:45 e Marcos 15:33). Dessa forma, Maria não poderia ter ido ao túmulo na manhã de Páscoa.

Alma 56:15 indica que os crentes foram chamados “cristãos” já em 73 a.C., e não em Antioquia, conforme a informação dada em Atos 11:26. É difícil imaginar como alguém poderia ter recebido o título de cristão tantas décadas antes do nascimento de Cristo!

Helamã 12:25, 26, alegadamente escrito no ano 6 a.C., cita João 5:29 como fonte escrita prévia, introduzindo-a com a palavra “lemos”. É difícil aceitar que uma citação pudesse ser tirada de uma fonte que não fora composta até muitas décadas depois de 6 a.C.!

A Bíblia VS Alcorão

O Sura 2:249. Quando o rei Saul, de Israel, saiu marchando com suas tropas, disse: “Deus vos testará por meio de um rio. Aquele que dele beber não fará parte do meu grupo; aquele, porém, que não provar dele, a não ser por meio de beber pela mão, fará parte do meu grupo.” Faz-se aqui tremenda confusão entre Saul e Gideão (confira Juízes 7:5-8).

Sura 61:6: “E lembrai-vos de quando Jesus, Filho de Maria, disse: ‘Ó filhos de IsraAlcorão dos muçulmanos possui sérias incoerências e inexatidões históricas (mesmo sendo muito mais recente que a Bíblia). Exemplos: 

el, em verdade sou o apóstolo da parte de Deus para vós, a fim de confirmar uma lei que foi dada antes de mim, a fim de anunciar um apóstolo que virá após mim, e cujo nome será Ahmad.’” O autor certamente obteve isso a partir do título Parakletos, que Jesus atribuiu ao Espírito Santo, em João 16:7. Confundiu-se Parakletos com Periklytos (famoso, louvado) que, em árabe, seria Ahmad ou Muhammad (Maomé). 

Algum tempo atrás, circulou pela internet um daqueles e-mails sensacionalistas dando conta de que teriam sido descobertas moedas com o nome de José do Egito. Era, na verdade, um grande mal-entendido. A informação proveio do jornal egípcio Al-Ahram, via site Memri. Outro site que repercutiu o assunto foi o Urban Christian News. Este até publicou uma foto, dando uma tremenda “barrigada” jornalística. As moedas da imagem são, na verdade, gregas e trazem a inscrição “Basileos Ptolomaios”. Nada de hieróglifos. Detalhe: José viveu por volta do ano 1850 a.C., enquanto Ptolomeu viveu no terceiro século a.C. 

No tempo de José não havia moedas. As fotos do site árabe são escaravelhos entalhados em alabastro e em pedra, e definitivamente não se trata de moedas. A moeda foi inventada no 8º século a.C. pelos lídios. Ademais, onde estão o rosto e o nome de José nesses artefatos? Além disso, José não era faraó. Como teria uma moeda esculpida com seu nome e rosto? Além do que, por ser judeu, não consentiria com esse tipo de homenagem pictográfica.) 

Parece que o Dr. Sa’id Mahammad Thabet, que é muçulmano, quis provar a exatidão do Alcorão, que na Sura 12:20 diz que os irmãos de José o “venderam por um preço baixo, um número de moedas de prata”. Muito material do Alcorão é “emprestado” da Bíblia, que é bem mais antiga que o livro sagrado dos islâmicos. O que ocorre neste caso específico é uma corruptela da tradução malfeita do texto bíblico de Gênesis 37:38: “Passando, pois, os mercadores midianitas, os irmãos de José, alçando-o da cisterna, venderam-no por vinte ciclos de prata aos ismaelitas, os quais o levaram para o Egito” (Almeida Contemporânea). A versão Almeida Revista e Atualizada traz a palavra “moedas” em lugar de “ciclos”. Ocorre que o original hebraico traz apenas “vinte de prata”. A palavra shekels (= peças, pedaços, peso ou ciclos) foi um acréscimo posterior ao texto original. O Alcorão, baseado numa tradução bíblica imprecisa, colocou “moedas”.
O que Thabet fez foi tentar “salvar” o texto corânico, indo na contramão de outros estudiosos, ao afirmar que há textos da 3ª, da 6ª e da 12ª dinastias que mencionam moedas. Só que ele usa a palavra deben, que, à semelhança de shekel, era também usada para se referir à medida de peso (como o futuro talento) e pesava 21 gramas.

Fica aqui a advertência para que não espalhemos informações imprecisas (e/ou até inverídicas) por aí. (

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Deus e a Escravidão



Um erro grave cometido por muitos cristãos atuais é ler o Antigo Testamento como se ele tivesse sido escrito no século 21 e para nós, ocidentais. Ao lermos o texto bíblico, precisamos nos lembrar de que ele foi escrito no Oriente Médio, no 2º e 1º milênios antes de Cristo. Acredite, pois isso resolve muitos problemas! Em lugar de comparar leis e práticas de Levítico, Números e Deuteronômio com leis atuais, compare com os códigos de leis dos povos daquela região e época.

Ilustraremos isso com o caso da escravidão. Deus permitiu a escravidão? Sim. Essa foi a primeira lei que Deus deu aos israelitas, quando eles saíram do Egito (cf. Êxodo 21:1-11). Mas não tire conclusões precipitadas disto. Veja como era a escravidão em Israel: Na lei mosaica, sequestrar alguém para ser vendido como escravo era um crime punido com pena capital (Êxodo 21:16). Um escravo hebreu deveria trabalhar apenas seis anos para pagar sua dívida, sendo liberto no sétimo ano sem pagar nada (Êx 21:2). Além disso, ele deveria receber de seu proprietário alguns animais e alimentos para começar a vida novamente (Deuteronômio 15:13, 14)(1). Durante seu período de serviço, o(a) escravo(a) teria um dia de folga semanal, o sábado (Êxodo 20:10).

Notou alguma diferença entre a escravidão bíblica e aquela mantida em nosso país, há alguns séculos? A diferença também é significativa quando comparamos essas passagens bíblicas com o famoso Código de Hamurabi, rei de Babilônia, no 18º século a.C. Se algum escravo fugisse, ele deveria ser morto; enquanto que, em Israel, esse escravo deveria ser protegido (Deuteronômio 23:15, 16). Proteger um escravo fugitivo, em Babilônia, era uma grande ofensa, também punida com morte, como evidenciado nas leis 15-20 do referido código. (2)

Alguém pode questionar o motivo pelo qual Deus não aboliu a escravidão entre os israelitas. Lembre-se de que eles estavam inseridos numa cultura impregnada dessa prática. Mesmo que Deus a abolisse, isso não mudaria a forma como eles pensavam. A título de ilustração, imagine o árduo processo cultural para tornar a Arábia Saudita em uma democracia! Mesmo que essa mudança fosse feita, ainda levaria um bom tempo até que a mentalidade da nação fosse mudada. No entanto, a legislação israelita oferecia um tratamento muito mais humano para os escravos, colocando escravo e senhor em pé de igualdade (cf. Jó 31:13-15).

Cuidado com o "Lunar sábado"



Nota: Este artigo no sábado Lunar é completamente original e foi inicialmente escrito e publicado em 2008. Você pode achar que
outros ministérios têm utilizado este artigo em várias formas, bem como, e isso é bom. Eles têm a minha permissão.


Se você é novo para a compreensão de guardar o sábado do Senhor, você provavelmente nunca ouviu falar de "Lunar sábados." Mas é muito provável que você acabará por encontrar alguém que pratica e ensina-lo. Assim como o sábado cristão tradicional afasta a guardar o sábado no dia que o Senhor fez santo, faz assim o sábado Lunar. Este estudo é escrito para ajudar a equipar o corpo de Messias com uma base bíblica de guardar o sábado no sétimo dia de cada semana, e para estabelecer porque qualquer desvio de que não é bíblico.
Viés & ulteriores motivos

    Ao estudar este assunto que eu tentei ser o mais objetivo possível, não se importando uma forma ou de outra, se eu tenho que mudar qualquer coisa que eu acredito. Eu não seria afetado negativamente a doutrina Lunar sábado eram verdadeiras. Porque eu tenho sido trabalhador por conta própria, eu não teria nenhum problema em tudo com que descansa em qualquer dia de qualquer semana, se eu precisava para mudar isso. Além disso, eu não tenho uma hierarquia denominacional dos homens para responder, e eu não sou parte de qualquer organização feita pelo homem. Eu gosto de ser livre para estudar e aprender a verdade, e aplicá-lo para a minha vida sem obstáculos. Que Javé tem misericórdia de todos nós.

De 2004 a 2007 I hospedado uma discussão sobre este tema em um fórum privado. Durante esse tempo, havia mais de 5.500 contribuições de vários indivíduos que procuram promover e / ou desacreditar a doutrina Lunar sábado. Em meus esforços para encontrar a verdade, eu queria ter certeza de que eu tinha ouvido todas as provas. Mas, apesar de todo o discurso, eu não vi um único post que iria provar a doutrina Lunar sábado para ser verdade. Em vez disso, muito pelo contrário.

O que constitui uma prova?

    Eu descobri que existem diferentes níveis do que constitui "prova" na mente das pessoas. Alguns requerem apenas um pouco de evidência para apoiar uma doutrina ou crença, enquanto outros requerem uma grande quantidade de evidências para apoiar uma doutrina ou crença. Mas é muito importante que nós confiamos em evidência real para apoiar a nossa crença em vez de uma interpretação de provas. Em minha mente, a evidência usada para "provar" a doutrina Lunar sábado depende de uma pessoa já estar predisposto a acreditar no sábado lunar, a fim de interpretar a evidência de tal maneira que apoia a sua doutrina.

    Descobri que, a fim de realmente acreditam na doutrina Lunar sábado, seria preciso contar com um certo nível de evidência (altamente interpretativo) do que real "prova". No entanto, enfiadas em todo alguma literatura Sabbatarian Lunar são muito fortes termos como "provas conclusivas". Ao examinar esta "prova conclusiva", torna-se claro que as provas oferecidas está longe de prova, muito menos conclusivos. Devemos tomar cuidado com o uso amplo escovado de alguém de termos como este e ser um bom juiz de haver ou não o que eles oferecem é realmente "prova". É fácil se deixar levar por tal terminologia forte, de modo que devemos estar dispostos a fazer os nossos próprios julgamentos sobre se deve ou não a sua evidência realmente é "prova".

Assim, no coração de onde estamos em relação a esta doutrina é determinar "o que constitui realmente um fato bíblico." Eu descobri que a doutrina Lunar sábado é meramente uma suspeitas, ou uma teoria que requer a crer que uma série de "possibilidades" são, na verdade, que estabelece "fatos".

O que é o sábado Lunar?

    O sábado Lunar ignora o atual ciclo de 7 dias por semana em uso hoje e usa a lua para determinar quando uma nova semana começa e termina. Então ao invés de observar o sábado no sétimo dia de um, sete dias por semana ininterrupta recorrente, sabatistas lunares reiniciar um ciclo de sete dias por semana perto do início de cada mês lunar. Um mês lunar segue as fases da Lua, em vez de o calendário 30-31 dia em uso hoje.

Dias de festas anuais de Javé são de fato determinado por certos dias de certos meses lunares. A partir da fase crescente da lua, é a páscoa do Senhor no dia 14 do primeiro mês de cada ano. Mas os detentores Lunar Sabbath acreditam que o sábado regulares cai em determinados dias de cada mês. Eles escolhem a guardar o sábado regulares nos dias 8, 15, 22, e dia 29 de cada mês lunar. Alguns fazem-no no 7º, 14º, 21º e 28º dias de cada mês lunar, mas por uma questão de simplicidade, vamos abordar aqueles que mantê-lo no dia 8, 15, 22 e 29 dias. Aqui está uma ilustração para ajudar a esclarecer:

Mês Lunar

1

2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29 30

Um ciclo lunar é de aproximadamente 29,5 dias de duração

Porque o sábado Lunar ignora o ciclo semanal atual em uso hoje, seu sábado pode cair em qualquer dia da nossa moderna semana. Depende completamente e unicamente nas fases da lua. Um dos principais problemas que os detentores Lunar Sabbath enfrentar é o fato de que há dias extras no mês que os impedem de ser capaz de manter o sábado a cada sete dias.

A lua se move através de um ciclo completo (Lua Nova, no primeiro trimestre, lua cheia, no último trimestre, conjugado), em aproximadamente 29,5 dias (ver gráfico à direita). Uma vez que não pode dividir um dia pela metade, isso significa que alguns meses lunares vai durar 29 dias, mas outros meses lunares vai durar 30 dias.

Então, o que os detentores Lunar Sabbath fazer no 1º e 30 dias de cada mês?

Isto é onde alguns podem ser diferentes. Enquanto todo mundo chama de "Novos dias de lua", alguns mantê-los como uma extensão do dia de sábado, no dia 29. Isto apresenta um problema, porque embora há escrituras que mostram homens edifício (Êxodo 40) e viajar (Esdras 7: 9) no dia da lua nova. Além disso, não é comandado em qualquer lugar que nós deve assentar em qualquer dia da lua nova, exceto o dia da lua nova do sétimo mês. A lua nova no 7º mês é a Festa das Trombetas. Esta lua nova seria o que faz alusão a escritura em Amos 8: 5, quando alguns não poderiam vender seus grãos no dia da lua nova.

Outros apenas abster-se de comércio ou emprego nesses dias, mas são livres para fazer todas as outras modalidades de trabalho, tais como cortar a grama, jardinagem, escavação de valas, construção de casas, viajar e fazer trabalhos domésticos. O que isto significa, essencialmente, é que eles realmente não conseguir um dia de descanso a cada sete dias. Eles teriam que esperar por até nove dias para obter um verdadeiro dia de descanso.

C onsider novamente o exemplo de Esdras:

Esdras 7: 9 - Para no primeiro dia do primeiro mês ele partiu de Babilônia e no primeiro dia do quinto mês chegou a Jerusalém, segundo a boa mão de seu Deus sobre ele.

Ezra começou sua jornada longe de Babilônia, no primeiro dia do primeiro mês. No caminho, ele parou por em Ahava (uma cidade desconhecida) e reuniu-se com outros que se juntaram a ele no caminho para Jerusalém, mas a sua data de partida real da Babilônia foi no 1º dia do primeiro mês.

I f estávamos a acreditar no sábado Lunar, Ezra ou seria violar a / Novo dia de lua sábado de descanso. No mínimo, ele não estaria recebendo o descanso adequado no 1º dia do mês. E uma vez que um Sabbatarian Lunar não descansar novamente até o oitavo dia do mês, ele teria envolvido em atividade física extenuante até o 8º dia, dando-lhe o que é essencialmente um "trabalho 7 dias e descansar no dia 8" princípio. E, na verdade, de acordo com a crença Lunar sábado, ele poderia ter legalmente caminhou por 8 dias (a partir do dia 30 do mês anterior ao dia 8 do mês seguinte), antes de finalmente descansar no 9º dia do mês. Assim, ele poderia se envolver em atividade extenuante durante 8 dias e, finalmente, descansar um pouco no dia 9. Como isso pode ser bíblico?

Ela simplesmente não é. Este é um exemplo claro de onde o comando de Yahweh a trabalhar seis dias e descansou no sétimo seria ignorado no final de cada mês.

"Moedim" escrituras provando sábados lunares?

    A doutrina Lunar sábado é fundada principalmente sobre três textos-chave. Estes três escrituras são fundamentais para o crente Lunar sábado, e eles vão ser citado com destaque em seus sites e documentos de estudo ao tentar provar a sua doutrina. Uma Lunar Sabbatarian diz que eles são os "pontos fortes" para essa doutrina, ea maioria dos outros parecem concordar.

Uma vez que eles são considerados os pontos mais fortes, devemos olhar para ver se eles são eficazes no estabelecimento de quaisquer fatos. A primeira escritura é encontrada no livro do Gênesis:

Gênesis 1:14 Então disse Deus: "Haja luzeiros no firmamento dos céus para separar o dia da noite; e sejam eles para sinais e estações, e para dias e anos;

Um crente Lunar sábado será rapidamente salientar que a Lua, sendo um dos luminares no firmamento do céu, foi criado para "estações". A palavra traduzida como "estações" nessa escritura é a palavra hebraica " Moedim ", que a maioria de todos concordarão meio" tempos designados ".

Aqui é a entrada do Lexicon Strong:

4150 mow`ed mo-ade "ou moled {mo-ade '}; ou (feminino) moweadah (2 Crônicas 8:13) {mo-aw-daw '}; a partir de 3259 ; corretamente, uma consulta , ou seja, um tempo fixo ou estação do ano; especificamente, um festival; convencionalmente um ano; por implicação, uma montagem (como convocada para um propósito definido); tecnicamente a congregação; por extensão, do local de reunião; também um sinal (como apontado anteriormente): - nomeado (sinal, tempo), (local de, solene) assembléia, congregação, (set, solene) festa, (nomeado, devido) temporada, solene (-ity), na sinagoga, (set) tempo (nomeado).

Agora vamos olhar para a segunda escritura chave, a introdução ao Senhor do nomeado vezes em Levítico 23:

Levítico 23: 1-3 E o Senhor falou a Moisés, dizendo: 2 "Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes:« As festas <. Heb palavra # 4150> do Senhor, que proclamareis para ser santas convocações, estes são meus festas <4150> . 3 Seis dias se fará trabalho, mas o sétimo dia é o sábado do descanso solene, uma santa convocação Você deve fazer nenhum trabalho. nele; ele é o sábado do Senhor em todas as vossas habitações . 

A palavra traduzida como "festas" no versículo 2 é a palavra hebraica "Moedim," a forma plural de "Moed". Observe que o sábado semanal é principalmente listado entre os "Moedim." Esta é uma escritura muito importante para o crente Lunar sábado. Para eles, isso prova que a lua deve ser envolvido na definição do tempo do sábado semanal. Desde o sábado é listado como um dos "Moedim", juntamente com os outros festivais, como Páscoa ea Festa das Semanas mais tarde neste capítulo, e Gênesis 1:14 diz que a lua é para o "Moedim," a lógica da Lunar sabatistas é que a Lua também deve ser utilizado para determinar o sábado semanal regular.

Vamos agora avançar para a terceira e última escritura que os crentes Lunar Sabbath usar como os "pontos fortes" para a sua crença:

Salmo 104: 19 Designou a lua para as estações ; O sol conhece o seu ocaso.

Mais uma vez, temos a palavra hebraica "Moedim" neste versículo, traduzida como "estações". Para eles, esta escritura coloca para descansar qualquer argumento de que a lua não é usado para determinar o sábado semanal, porque ele está entre os "Moedim."

Na superfície, isso pode soar como muito lógica de som:

1) A lua é para "Moedim."
2) O sábado regular é chamado de "Moedim" nas escrituras.
3) Por conseguinte, a lua deve de alguma forma ser usado determinar o sábado regular.

No entanto, a lógica acima não é baseada em todos os fatos. É importante que baseamos nossas crenças em todo o conselho do Senhor, e não sobre o que "parece plausível" a partir de apenas olhando algumas escrituras e supondo que temos a verdade.

Na realidade, essa lógica não se centrar em torno do entendimento de que a lua é para "Moedim." Esta lógica, na verdade, gira em torno da crença de que a lua deve ser utilizado na definição ALL "Moedim." É muito importante compreender a diferença.

Se houver algum exemplos na escritura onde a lua não é usado para determinar um "Moedim", então toda a sua argumentação vai cair ao chão. Por Quê? Porque se nós temos exemplos na escritura onde a lua não está envolvido na criação alguns "Moedim," isso prova que a lua não tem necessariamente de estar envolvido no sábado semanal também.

Então, vamos dar uma olhada:

Juízes 20:38 Agora, o sinal nomeado <4150> entre os homens de Israel e os homens em emboscada foi que eles iriam fazer uma grande nuvem de fumaça subir a partir da cidade,

Na passagem acima, a palavra "moed" é traduzida como "sinal nomeado." Ele vem da palavra número léxico o mesmo de Strong. Contextualmente, o sinal nomeado estava fazendo uma nuvem de fumaça de levantar-se da cidade. Nenhuma lua necessário. Obviamente, não podemos usar a lua para iluminar um incêndio.

Aqui a palavra é traduzida como "tempo determinado;"

Números 28: 2-4 "Ordena aos filhos de Israel, e dize-lhes: A minha oferta, o alimento para as minhas ofertas queimadas como um aroma doce para mim, você deve ter o cuidado de oferecer a Mim no seu tempo determinado . <4150> ' 3 "E você deve dizer-lhes: 'Esta é a oferta queimada que oferecereis ao Senhor:. dois cordeiros de um ano sem defeito, dia a dia, como um holocausto diário 4 ' Um cordeiro oferecerás pela manhã, eo outro cordeiro oferecerás à noite,

Isso está descrevendo um sacrifício diário no templo ou tabernáculo. Havia dois cordeiros foram oferecidos diariamente, uma de manhã e outra à noite. O Senhor diz: " você deve ter o cuidado de oferecer a mim em seu tempo determinado <4150> . " O "tempo determinado" ou "moed" aqui é de manhã e à noite. A lua não está envolvido na determinação da manhã ou à noite, no entanto, estes são chamados de "Moedim." Isto demonstra claramente que alguns dos Yahweh de "Moedim" não envolvem a lua em tudo. 

É verdade que o Senhor fez nomear a lua para "Moedim," mas obviamente não ALL do Senhor de "Moedim" como guardiões Lunar Sabbath indicar. Por isso, a sua afirmação de que a ALL do Senhor de "Moedim" deve envolver a lua (e, portanto, o sábado também deve envolver a lua) é simplesmente não é verdade .

Para provar este ponto ainda mais, considerar o contexto do Salmo 104: 19:

Salmo 104: 18-19 Os altos montes são para as cabras montesas; As falésias são um refúgio para os texugos de rock. 19 Designou a lua para as estações; O sol conhece o seu ocaso.

Se optar por seguir a crença de guardiões Lunar Sabbath, torna-se evidente que eles estão adicionando a palavra inspirada de Javé quando dizem Yahweh "Designou a lua para 'Moedim e ALL' ALL Moedim 'deve envolver o uso da Lua.'"

Para provar essa noção errada, precisamos apenas verificar o contexto do Salmo 104: 19. Tome um momento e observe de perto o verso anterior, que utiliza um tipo semelhante de estrutura da frase. Ela diz, "os altos outeiros são para as cabras montesas." Para um guarda-redes Lunar sábado para ser coerente em sua crença, considere o problema aqui:

IF: Yahweh "Designou a lua para 'Moedim e ALL' ALL Moedim 'deve envolver o uso da Lua."

ENTÃO (pela mesma lógica): Senhor também fez "os montes altos para todos os cabras selvagens e todas as cabras selvagens deve usar altos montes"

Claro, isso é ridículo mas demonstra a falácia de ser tão dogmática que ALL '' Moedim envolvem usar a lua.

O que estamos vendo aqui no Salmo 104 é poesia hebraica, não dogmática, declarações legalistas. Caso contrário, você pode até mesmo ir para o versículo 20 e descobrir que todos os animais da floresta precisam acordar e rastejar sobre pelo menos uma vez a cada noite.

Em resumo, a afirmação de que todos do Senhor de "Moedim" deve usar a lua simplesmente não é verdade. O significado da palavra "Moedim" em hebraico é mais amplo do que os detentores Lunar Sabbath fazem para fora para ser, e quando você examinar a sua interpretação muito rígida do Salmo 104: 19 mais de perto, ele desafia as noções básicas de senso comum.

Precisamos ter cuidado com coisas como esta. Qualquer um pode puxar uma escritura fora de contexto aqui ou ali e ele pode aparecer para caber sua teologia. Mas, a fim de compreender plenamente o significado das palavras hebraicas, precisamos examinar de forma consistente o significado e contexto de várias escrituras. Quando fazemos isso, os verdadeiros significados vir à luz.

Então, para mim, tudo isso levanta a questão: "Se essas escrituras são os" mais fortes pontos para o sábado pela lua ", ea interpretação dada é, obviamente, bastante infundada, o que isso diz sobre os seus pontos mais fracos?"

Na ausência de quaisquer Escrituras que nos dizem que a lua deve ser envolvido no sábado semanal, não há base bíblica real para Lunar guarda do sábado.

Sábados localizaram provando sábados lunares?

    O segundo dos "pontos fortes para sábados pela lua" são os lugares nas escrituras que falam de sábado do Senhor ocorrendo em dias do mês que sabatistas lunares identificar como o sábado Lunar. No entanto, eu não vejo por que seria mesmo um ponto forte para começar. O sábado Lunar vai concordar com o sétimo dia de sábado, uma vez em cada 7 meses mais ou menos. Isso é quase duas vezes por ano, em média. O fato de que um deles seria mencionado nas escrituras prova absolutamente nada .

Para uma doutrina Lunar sábado para realmente ser estabelecida, seria necessário provar que o sábado era em determinado dia do mês lunar por dois ou mais meses consecutivos. Como o mês lunar é 29 ou 30 dias, isso seria impossível com o ciclo semanal recorrente. Mas, apesar dos esforços valentes por Lunar sabatistas, eles ainda têm de provar isso já aconteceu na escritura. Se alguém pensa que eles têm, não hesite em contactar-me .

Na minha própria análise dos seus pedidos, há apenas um ou dois lugares na Escritura que um pode ser capaz de provar que o sábado de Javé caiu em um determinado dia do mês.

O primeiro aparece quando você examina Êxodo 16: 1, que coloca a conclusão da viagem de Israel para o deserto de Sin no dia 15 do segundo mês:

Êxodo 16: 1 E eles viajaram de Elim, toda a congregação dos filhos de Israel veio ao deserto de Sim, que está entre Elim e Sinai, no décimo quinto dia do segundo mês depois que saíram da terra do Egito.

Pode-se supor que o Senhor começou a enviar o Seu maná no dia seguinte. Esta suposição vem de versículo 22, onde Ele lhes disse para reunir duas vezes mais no sexto dia:

Êxodo 16: 22-23 E assim foi, no sexto dia, que eles se reuniram duas vezes mais pão, dois omers para cada um. E todos os príncipes da congregação vieram, e contaram Moisés. 23 Então ele lhes disse: "Este é o que o Senhor disse: 'Amanhã é . um descanso sabático, um sábado santo ao Senhor Asse o que você vai assar hoje, e deixe ferver o que você vai ferver, e ajuntai para vós tudo o que resta, para ser guardado até de manhã ". "

Partindo do princípio de que "o sexto dia" é o sexto dia em que o maná caiu em vez de uma referência para o sexto dia da semana, isto colocaria o sétimo dia de sábado, no dia 22 do mês. Mas isso seria um pressuposto de que não podemos provar.

Isso também seria um problema. Se o 22 é realmente um sábado, isso significaria que o 15º (7 dias antes) também seria um sábado. Mas se congregação de Israel tinha realmente chegou no dia 15 do mês (Êxodo 16: 1), eles teriam sido quer viajar em uma pequena parte do dia, ou pelo menos necessário para montar acampamento após a chegada. Isso seria potencialmente envolvem um monte de trabalho.

De qualquer maneira, mesmo se pudéssemos encontrar uma escritura onde o sábado acontece a cair no dia 22 do mês, isto não prova a doutrina Lunar sábado. Como já foi mencionado anteriormente, este pode ter lugar quase duas vezes por ano, em média.

Aliás, essas passagens fazer mais danos à doutrina Lunar sábado do que ajuda. Observe que o Senhor deu Manna por seis dias, mas se absteve Manna no sábado:

Êxodo 16: 24-30 Então, eles guardaram-no até de manhã, como Moisés tinha ordenado; e não cheirou mal, nem houve quaisquer vermes nele. 25 Então Moisés disse: "Coma o hoje, porquanto hoje é o sábado do Senhor;. hoje você não vai encontrá-lo no campo 26 "Seis dias o colhereis , mas no sétimo dia, que é o sábado, não haverá nenhum. " 27 Ora, aconteceu que alguns do povo saíram no sétimo dia para reunir, mas não o acharam. 28 E o Senhor disse a Moisés: "Como ? tempo você se recusam a guardareis os meus mandamentos e as minhas leis 29 "Ver Para o Senhor vos deu o sábado;! Ele, portanto, dá-lhe pão no sexto dia durante dois dias Que todo homem permaneça em seu lugar;. deixe ninguém saia do seu lugar no sétimo dia. " 30 Então o povo descansou no sétimo dia.

Observe que ele diz: " Quanto tempo você se recusam a guardareis os meus mandamentos e as minhas leis? "Veja! Para o Senhor vos deu o sábado; Ele, portanto, dá-lhe pão no sexto dia durante dois dias. "Senhor estava tentando ensinar-lhes que o sábado foi o dia, dando-lhes pão para dois dias. Eles foram enviados suficiente Manna para durar dois dias, o sexto e sétimo dias do semana, para que eles não teriam de recolher qualquer no sábado.

Com o Sábado Lunar, tal princípio cair no mal, no final do mês lunar. Será que o Senhor dar triplo ou quádruplo da quantidade de Manna para que Israel poderia manter o dias 29, 30 e 1º dia do mês seguinte? Ou, se Ele chover a porção dupla de maná no dia 28 do mês e permitir-lhes para coletar Manna novamente no dia 30 e 1º dia do mês seguinte?

De qualquer maneira entraria em conflito com o princípio de que o Senhor estava ensinando em Êxodo 16. Ou o Senhor teria de enviar uma parte quadruple no dia 28 para cobrir a 28, 29, 30 e 1º dia (eles podem ser até os joelhos em Manna! ), ou potencialmente Ele envia maná para os 7-8 dias seguintes ao dia 29 do mês lunar (que está em conflito com o princípio " Seis dias o colhereis. ")

O segundo lugar na Escritura onde possa ser demonstrada a existência de um sábado em um dos dias Lunar sábado é durante a semana que Yahushua morreu na árvore. O dia depois de sua morte foi claramente algum tipo de sábado:

João 19: 30-31 Então, quando Yahushua tinha tomado o vinagre, disse: "Está consumado!" E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. 31 Portanto, porque era a Preparação Dia, que os corpos não ficassem na cruz no sábado (para que o sábado era um dia de alta), os judeus pediram a Pilatos que se lhes pernas pode ser quebrado, e que eles podem ser levados.

Sabemos que Yahushua foi morto no dia da Páscoa, que seria o dia 14 do primeiro mês. Se acreditamos que o Sabbath acima para ser um sábado semanal, que seria de fato coloque o dia 15 do primeiro mês em um sábado. Contudo:

Mateus 12:40 "Pois assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.

Se Yahushua estava falando aqui de seu tempo na sepultura, e tomamos a expressão "três dias e três noites", literalmente, em vez de compreendê-la como uma expressão idiomática, não podemos dizer que Yahushua morreu no 6º dia da semana. Pessoalmente, eu acredito que Ele morreu na quinta dia da semana, mas Lunar sabatistas seria necessário para colocar sua morte no 6º dia da semana porque a noite depois que Ele morreu era um sábado.

Mesmo que fosse verdade que o sábado de Javé caiu no dia 15 do mês, isso não prova que foi sempre no 15º dia do mês. Apesar disso, os detentores Lunar Sabbath considerar estas "Sábados" e identificou a dogmática "Sábado é um Moed" discutimos anteriormente a ser, como uma pessoa coloca, os dois "pontos mais fortes para sábado pela lua."

Tudo o que posso dizer é que esse limiar para estabelecer a verdade de uma doutrina é muito baixo , especialmente para algo tão importante quanto manter o quarto mandamento! A base sobre a qual nós fazemos declarações como se fossem "fato" é muito importante. Se alguém é capaz de afirmar algo como fato quando os fatos realmente não foram estabelecidas, este fala com a mentalidade com a qual eles estão se aproximando do tópico a ser bastante suspeito. Quando fazemos uma declaração de fato, devemos ter a prova para apoiá-lo. Mas mesmo em seus dois "pontos fortes", não há realmente muita força para eles em tudo.

Escrituras que declaram o verdadeiro sábado

    Um problema real com a doutrina Lunar sábado é a falta de uma explicação clara em qualquer lugar nas escrituras. Seria diferente se houvesse duas escrituras que pareciam contradizer um ao outro e nós estávamos tentando descobrir por que parecia ser. Mas não há nada no padrão de sábado semanal que contradiz as escrituras.

Eu não acredito que qualquer um que lê o mandamento do sábado em Levítico 23, ou Êxodo 20 juntamente com o relato da criação vai vir para cima com uma doutrina "Lunar sábado". Não há outro mandamento em qualquer lugar nas escrituras que diz:

"No dia seguinte a lua nova de cada mês, seis dias o trabalho será feito, mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus. Você deve fazer isso por quatro semanas. Então, dependendo se o novo mês já começou, você não deve se envolver no comércio ou trabalho remunerado para 1 ou 2 dias. Em seguida, você deve redefinir a sua semana para as 'Seis dias se trabalhará, mas o sétimo dia é o sábado do descanso solene "padrão".

Obviamente, o Senhor nunca disse tal coisa, mas este é o mandamento real que a maioria dos guardadores do sábado Lunar seguir. Isto nada mais é do que um mandamento de homens, porque ele não é encontrado nas escrituras em qualquer lugar.

Vamos lembrar que o Senhor disse:

Deuteronômio 12:32 "O que quer que eu te ordeno, tenha cuidado para observá-lo, você não deve adicionar a ele nem tirar dele.

A falta de um tal comando é, na minha opinião, muito prejudicial para a doutrina Lunar sábado. Basicamente, significa que precisamos assumir que o Senhor pensava que as pessoas sabiam estas coisas já, e sempre seria assim, então Ele não precisava explicar.

Mas ...

Se o Senhor estava esperando o homem para trabalhar seis dias e guardar o sábado no sétimo dia em um padrão recorrente ininterrupta, seria fácil ver que tudo o que Ele precisava fazer era comando que façamos o nosso trabalho durante seis dias e descansou no sétimo - nenhuma explicação adicional necessário.

E isso é exatamente o que Ele fez:

Êxodo 20: 9-10 "Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra, mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus. "

Êxodo 23: 12a " Seis dias haveis de fazer o seu trabalho, e no sétimo dia de descanso. "

Êxodo 31:15 " O trabalho deve ser feito durante seis dias, mas o sétimo é o sábado do descanso, santo ao Senhor. "

Êxodo 31:17 "Isso é um sinal entre mim e os filhos de Israel para sempre, pois em seis dias o Senhor fez os céus ea terra, e ao sétimo dia descansou e restaurou-se ". "

Êxodo 34:21 "Seis dias o trabalho, mas no sétimo dia descansarás;"

Êxodo 35: 2 "O trabalho deve ser feito durante seis dias, mas o sétimo dia será um dia sagrado para você, um sábado de descanso para o Senhor"

Deuteronômio 5: 13-14 Seis dias o trabalho e fazer todo o seu trabalho, 14 mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus.

Se começarmos sem quaisquer idéias fantasiosas, e apenas tomar as escrituras para o que eles dizem, não acrescentar nada a ele, só podíamos chegar ao entendimento de que o sábado de Javé cai em uma rotação de sete dias (semanal) ininterrupta. Há realmente não há espaço para quaisquer outras interpretações possíveis. Seis dias de trabalho, e você descansar no sétimo. Uma vez que o sétimo dia é terminado, você trabalha mais seis dias e descansou no sétimo.

Para ilustrar ainda mais que um padrão recorrente foi destinado, vamos voltar para o início da criação e encontrar o sábado que o Senhor mesmo estabeleceu.

Como sabemos, detalhes Gênesis 1 seis dias que o Senhor usou para criar os céus ea terra. Cada um desses dias consistiu de uma "tarde e manhã". O Senhor disse que cada uma das "tardes e manhãs" Foram dias específicos da semana.

Quando o sétimo dia veio em Gênesis 2, o Senhor disse que Ele descansou de seu trabalho, em seguida, abençoado e santificado aquele dia:

Gênesis 2: 1-3 Assim, os céus ea terra, e todo o exército deles, se acabaram. 2 E no sétimo dia Elohim terminou Sua obra, que tinha feito, e Ele descansou no sétimo dia de toda a obra que Ele tinha feito. 3 Então Elohim abençoou o sétimo dia eo santificou , porque nele descansou de toda a obra que Elohim criara e fizera.

Mais tarde, ao dar os Dez Mandamentos, o Senhor disse:

Êxodo 20: 8-11 Lembre-se o dia de sábado , para santificá-lo. 9 Seis dias o trabalho e fazer todo o seu trabalho, 10 mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus. Nele você fará nenhum trabalho: você , nem teu filho, nem tua filha, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o teu animal, nem o estrangeiro que está dentro das tuas portas. 11 Para em seis dias o Senhor fez os céus ea terra, o mar e tudo que é neles, e descansou no sétimo dia . Pelo que o Senhor abençoou o dia do sábado eo santificou.

Agora, por favor, preste muita atenção para o que o Senhor disse. Ele abençoou e santificou um dia . Duas vezes Ele o chamou de "o dia do Senhor" e duas vezes Ele o chamou de "o sétimo dia."

Medite sobre este um momento:

O fato de que o Senhor abençoou e santificou um específico dia ... claramente demonstra que um padrão cíclico é seguir. Se isso cíclico (recorrente) padrão é sempre interrompido por dias extras, a um determinado dia (dia 7) desaparece !

Se o Senhor queria santificar e abençoar a 8, 15, 22 e 29 dias do mês, ele teria de dizer que Ele abençoou e santificou dias específicos do mês. Em outras palavras, a bênção ea santificação teria sido no contexto vários dias de um mês lunar, não um dia específico de uma semana de 7 dias. Assim, o fato de que há um dia especial chamado de "o dia de sábado" demonstra que você não pode interromper a semana.

Para ilustrar melhor isso, vamos voltar para o início e olhar para as coisas da perspectiva de Adão.

Senhor tinha acabado de criar os céus ea terra em seis dias. Adam observa o Senhor abençoar e santificar um determinado dia da semana - o dia de sábado. Tudo foi belo e perfeito.

o que agora?

No dia seguinte, obviamente, vai ser um dia para cumprir o mandamento do Senhor para trabalhar no jardim. Se fôssemos Adam, o que faríamos se seis "tardes e manhãs" passar? Obviamente, nós santificar o sétimo dia , a um determinado dia que o Senhor ordenara a ser santificado.

então o que? Temos tardes e manhãs adicionais vindo então o que é que fazemos? A escolha óbvia é que trabalhamos mais seis e descansar no sétimo dia . O ciclo de semana de sete dias recorrentes nasce a partir do momento o Senhor descansou no sétimo dia e disse o homem a fazer o mesmo. É muito óbvio e não é difícil de entender em tudo.

Agora, suponha que o Senhor instituiu o sábado Lunar na criação. Depois de 3 semanas de seguir uma semana sete dias recorrentes com a observação do um específico dia que o Senhor chamou o sábado, seis mais "tardes e manhãs" passar eo que fazemos? Nós descansar novamente em um determinado dia , o sétimo dia .

então o que? Isto é onde Sabbatarians mesmo Lunar diferem uma da outra. Alguns dizem que, se fôssemos Adam iríamos descansar no oitavo dia, e, em seguida, descansar o nono dia também se a lua não está na nova ainda. Mas por que razão? Isso não se encaixa qualquer padrão que o Senhor estabelecido na criação. Nós já não estariam mantendo " o sábado "em que um determinado dia, o sétimo dia. Para permitir que o padrão a ser interrompido é andar longe de guardar o sábado no um determinado dia que o Senhor fez santo, o sétimo dia!

Outros Lunar sabatistas diria que Adão teria só precisava de se abster de comércio e / ou trabalhar por dinheiro nos dias oitavo e nono. Mas nos dias de Adão, não havia ninguém por perto para comprar ou vender, e certamente não havia ninguém para pagar Adam para qualquer trabalho.

Na verdade, com essa compreensão Adam poderia ter retomado seu tender do jardim do Éden, no dia depois do sábado e que continuou seu trabalho no jardim para um total de 7 ou 8 dias, em seguida, descansou no nono dia . O fato de que ele pudesse continuar a trabalhar no jardim para 7 ou 8 dias viola o padrão que o Senhor estabelecido no Gênesis. O sétimo dia passa e é ignorado com este entendimento da guarda do sábado.

A verdade é que o Senhor não descansou dois dias e Ele não descansou por três dias. Ele não disse para fazer uma meia-resto por um dia ou dois dias após o quarto sábado do mês. Este é um mandamento de homens. Javé fez um específico dia santo e apenas um dia . Ele trabalhou por seis dias e descansou no sétimo dia. É Seu padrão que devemos estar a seguir quando se trata de manter o sábado santo, como Ele disse aqui:

Êxodo 20:11 Por em seis dias o Senhor fez os céus ea terra, o mar e tudo o que é neles, e descansou no sétimo dia. Pelo que o Senhor abençoou o dia de sábado eo santificou.

Diz que " o Senhor abençoou o sétimo dia eo santificou. " Observe que não dizer "Elohim abençoou o sétimo dia, e às vezes os oitavo e nono dias são abençoados e santificados também, dependendo ou não a nova lua apareceu ainda."

Há apenas um dia da semana em que o Senhor santificou, e que é o sétimo dia da semana. Não existe tal coisa como uma semana oito dias ou uma semana nove dias. Se houvesse, o padrão estabelecido na criação é lançado em confusão. Um sábado não poderia durar um dia, mas um, dois ou possivelmente três dias - causando assim a um dia padrão de santificação a desaparecer. Se alguém opta por trabalhar para 7 ou 8 dias, em vez de descansar sobre os dias extras, faz com que o sétimo dia padrão de santificação a desaparecer.

Em reconhecimento desta contradição, alguns observadores do sábado Lunar começaram referindo-se aos dias que sobraram no final do mês como "não-dia." Em outras palavras, os dias no final do mês não são realmente dias em todos. Eles são apenas nada.

Claro, isso é tudo o que realmente posso dizer.

Mas sabemos que a partir de Gênesis 1 que um dia é composto por uma noite e uma manhã. Os dias no final do mês de Javé são dias com uma noite e uma manhã, não importa o quão duro você tente ignorá-lo. Dois ou três "tardes e manhãs" estão passando, por isso eles são de fato "dias". Não podemos simplesmente esconder a cabeça na areia e fingir que eles não existem para que possamos continuar a acreditar que nós queremos.

A verdade é que o conceito de uma semana que se estende até 8 ou 9 dias é estranho a escritura. Na verdade, é uma contradição direta da escritura. Em hebraico, o número sete e a palavra traduzida como "semana" têm por base o mesmo verbo raiz hebraica que significa simplesmente "sete".

Léxico do Strong define "semana" (# 7620) como:

7620 shabuwa` shaw-boo'-ah ou shabuan {shaw-boo'-ah}; também (feminino) shbu.ah {sheb-aw-oo '}; corretamente, particípio passivo de 7650 como um denominative de 7651 ; literal, sevened , ou seja, uma semana (especificamente, de anos): - sete, semana.

E o Theological Wordbook do Antigo Testamento afirma:

Shabua - período de sete anos, uma semana, a Festa das Semanas. Este termo ocorre vinte vezes no AT, indicando sempre um período de sete anos. Na verdade, a palavra obviamente nos vem de Seba (qv) e poderia ser traduzida literalmente como sempre como "sete período."

Repare que esta referência diz "Shabua" é derivada de "Sheba" 7651 , a palavra traduzida como "Seven" tudo ao longo das escrituras:

7651 sheba` sheh'-bah ou (masculino) shibrah {shib-aw '}; a partir de 7650 ; um número cardinal primitivo; sete (como o sagrado cheio); também (adverbialmente) sete vezes; por implicação, uma semana; por extensão, um número indefinido: - (+ by) sete (fold), - s, (-teen, -teenth), -TH, vezes). Comparar 7658 .

"Shabua" é apenas outra forma de a mesma palavra. "Sabá" é traduzida como "sete" mais de 350 vezes nas escrituras KJV.

É evidente que a palavra "semana" não podem ser separados a partir do número de sete. A razão inteira uma "semana" é chamado de "shabua" é porque sempre contém sete dias. Sendo este o caso, uma semana não pode ser 8 ou 9 dias.

Como lemos no Theological Wordbook do Antigo Testamento, a palavra traduzida como "semana" significa literalmente " sete período. " Seria uma contradição dizer em hebraico "uma semana oito dias", porque você precisa dizer "um oito dias sete período." Assim como uma "dúzia" sempre significa doze em nossa língua, uma "semana" sempre significa sete em hebraico.

Assim, uma semana 8 ou 9 dias é totalmente estranho para as escrituras. Para criar um é adicionar a palavra de Javé. Naturalmente, a sua solução é não contar naqueles dias, e chamá-los de "não-dia", porque isso é tudo que posso dizer. Sua resposta pat é "Naqueles dias não estão incluídos na contagem." que conveniente!

A Escritura diz que o oposto. A Escritura diz que uma "tarde e manhã" é um dia. E um dos dias a que se referem como sendo um "não-dia" é chamado de "dia" neste versículo:

Ageu 1: 1-2 No segundo ano do rei Dario, no sexto mês, no primeiro dia <3117 om=""> do mês, a palavra do Senhor veio ao profeta Ageu, a Zorobabel, filho de Salatiel, governador de Judá, ea Josué, filho de Jozadaque, sumo sacerdote, dizendo: 2 "Assim diz o Senhor dos Exércitos, dizendo: 'Este povo diz:". O tempo não veio, o tempo que a casa do Senhor deve ser construída " '"

Com essa lógica, há 02/01 dias em um mês onde você não está mesmo vivendo dentro do contexto de uma semana. No dia 30 do mês e do primeiro dia do mês, a semana deixa de existir! Os dias estão indo e vindo, mas você precisa fingir que eles não estão lá.

A verdade é que, se uma semana é interrompida por dias extras, não estamos mais mantendo o sábado no "sétimo dia". Se mudarmos o padrão que o Senhor estabelecido na criação, estamos partindo do exemplo do Senhor e guardar o sábado em algum outro dia. O sábado não seria mais em "o sétimo dia."

Guardadores do sábado esperar Lunar no dia após a lua nova para reiniciar a semana a cada mês. Mas se semanas estão determinadas por fases da lua, isso significaria que o Senhor teria necessário para criar a terra, criar a lua, colocá-lo em órbita e talvez até mesmo esperar por um dia após a lua nova antes de iniciar a primeira semana!

Mas a lua não foi ainda feito e dado o seu lugar nos céus até o 4º dia:

Gênesis 1: 16-19 Então Deus fez dois grandes luzeiros: o maior para governar o dia, eo luminar menor para governar a noite. Ele fez as estrelas também. 17 Elohim os colocou no firmamento dos céus para alumiar a terra, 18 para governar o dia ea noite, e para dividir a luz da escuridão. E Elohim viu que era bom. 19 Então foi a tarde ea manhã foram o quarto dia .

Portanto, não havia sol para até mesmo dar luz sobre a terra, e sem lua para refletir essa luz sobre a terra (criando, assim, as fases da lua) até o 4º dia da semana. Se tivéssemos de acreditar que a cada semana é determinada pelas fases da lua, isso seria ainda uma outra contradição direta.

Se o Senhor quis definir um padrão de Lunar guarda do sábado para nós, eo padrão pode ser encontrada em Sua criação do mundo, por que Ele não criou o mundo em um mês lunar, não descansando cada sétimo dia, mas descansando em determinados dias do mês, para que possamos ter um padrão exato da guarda do sábado para ir por?

Claro, o Senhor poderia ter criado os céus ea terra em um instante, mas em vez disso ele colocou em movimento o conceito de uma "semana" para que possamos seguir o seu exemplo em seis dias trabalhando e descansando no sétimo. O sábado Lunar viola esse padrão ao final de cada mês, fazendo trabalho físico seis dias e descansando no sétimo, oitavo e nono dias -OU- possivelmente fazendo trabalho físico 7 a 8 dias e descansando no nono dia.

Levítico 23: 3 Seis dias se fará trabalho, mas o sétimo dia é o sábado do descanso solene, uma santa convocação. Você fará nenhum trabalho sobre ele; ele é o sábado do Senhor em todas as vossas habitações.

A escolha mais lógica e clara aqui é para fazer exatamente o que o Senhor disse. Trabalhar seis dias e descansou no sétimo. Este é o padrão dado por nós nas escrituras.

Senhor nunca especificou determinados dias do mês para o Seu sábado normal , mas um dia específico do mês é dado para cada um de Seus festa sábados dias. Será que isso não falam?

Levítico 23: 4 "Seis dias se trabalhará, mas o sétimo dia é o sábado do descanso solene, uma santa convocação. Você fará nenhum trabalho sobre ele; ele é o sábado do Senhor em todas as vossas habitações. 4 Estas são as festas fixas do Senhor, santas convocações, que proclamareis no seu tempo determinado. 5 'No décimo quarto dia do primeiro mês no crepúsculo é a páscoa do Senhor. 6 'E no décimo quinto dia do mesmo mês é a festa dos pães ázimos ao Senhor; sete dias você deve comer pão sem fermento. 7 'No primeiro dia tereis uma santa convocação; não farás nenhum trabalho servil.

Observe também que o Senhor precisava para nos informar que o primeiro dia da festa dos pães ázimos, sendo o dia 15 do primeiro mês, é um dia que "nenhum trabalho servil" é para ser feito. Se de fato o dia 15 de cada mês já é um sábado regular, por que Ele ainda precisa informar-nos de que é um dia de descanso para começar?

O sábado regular é um memorial dos sete dias da criação. Os dias santos espalhados por todo o ano são observados em determinados dias do ano como um memorial para outros atos de Javé, como o aniversário de quando os filhos de Israel saiu do Egito, etc.

Mas o sábado é dado para nós para lembrar a criação do mundo e descansar como o Senhor fez. Precisamos fazer o que Ele fez e faz todo o nosso trabalho em seis dias, mas descansar em um específico dia , o sétimo dia. O dia que o Senhor fez santo e ordenou que nós "Lembre-se" é um específico dia , o sétimo dia, e devemos "santificar."

Três dias de viagem

A doutrina Lunar sábado tem sempre o sábado caindo nos dias 8, 15, 22 e 29 dias de um mês lunar. Se o sábado foi no dia 22 do mês, os filhos de Israel teria sido viajar no sábado:

Num 10: 11-12 - Agora aconteceu no vigésimo dia do segundo mês, no segundo ano, que a nuvem se levantava de sobre o tabernáculo do Testemunho.
12 E os filhos de Israel partiu do deserto de Sinai em suas jornadas; em seguida, a nuvem se estabeleceram no deserto de Paran.
....
33 - Então partiram do monte do Senhor em uma viagem de três dias; ea arca da aliança do Senhor ia adiante deles para a viagem de três dias, para buscar um lugar de descanso para eles.

Desde que começou sua jornada no dia 20, eles teriam viajado no dia 20, 21 e 22 dias ... procura um lugar de descanso. Nenhum resto foi encontrado até o dia 23 do mês lunar. Portanto, esses versos refutar facilmente a doutrina Lunar sábado. Enquanto alguns têm sugerido que a "viagem de três dias," é simplesmente uma medida de distância, o contexto tem a ver com com quantos dias eles viajaram, não a distância de um lugar para outro. Além disso, se eles estavam procurando um lugar de descanso e teve de viagem para 3 dias até que eles se encontraram, como é que alguém poderia dizer que eles encontraram um lugar para descansar (mantendo o sábado) antes dos 3 dias tinha expirado?

Conte até Pentecostes

    Outro problema óbvio com o sábado Lunar é como ele contradiz como a Festa das Semanas é ordenado a ser observado. Dizem-nos para contar sete sábados a partir do sábado que ocorre durante a Festa dos Pães Ázimos. Esta seria composta de 49 dias. Em seguida, ele diz que iríamos chegar aos 50 dias, se contarmos com o dia seguinte ao sétimo sábado:

Levítico 23: 15-16 E você deve contar para vós desde o dia depois do sábado, desde o dia em que você trazido o molho da oferta de movimento: sete sábados devem ser preenchidos.  16 'Contagem de 50 dias para o dia seguinte ao sétimo sábado ; então você deve oferecer uma nova oferta de cereais ao Senhor.

Vamos agora olhar e ver se isso se encaixa como uma possibilidade para um goleiro Lunar sábado. O pequeno número indicará a contagem de 50 dias a partir do dia depois do sábado, durante a Festa dos Pães Ázimos:

Abib (primeiro mês)

1 2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
<- 1="" de="" dia="" festa="" p="">
16 1 17 2 18 3 19 4 20 5 21 6 22 7
23 8 24 9 25 10 26 11 27 12 28 13 29 14 30 15
1 16 2 17 3 18 4 19 5 20 6 21 7 22 8 23
9 24 10 25 11 26 12 27 13 28 14 29 15 30
16 31 17 32 18 33 19 34 20 35 21 36 22 37
23 38 24 39 25 40 26 41 27 42 28 43 29 44
1 45 2 46 3 47 4 48 5 49 6 50 7 8
Como você pode ver no calendário acima, a Festa das Semanas não se encaixa em tudo no modelo Lunar sábado. Na escritura, o Senhor disse que quando nós contamos 50 dias, vamos contar "para o dia seguinte ao sétimo sábado." No exemplo acima calendário lunar sábado, é impossível para o 50º dia para ser " o dia seguinte ao sétimo sábado . " De fato, Pentecostes / Shavuot pode não ser " o dia seguinte ao sétimo sábado "se mantivermos sábados lunares. Isso ocorre porque no período de tempo sete semanas eles vão correr para o final do primeiro mês, que incluirá extras "novos dias de lua." Se você contabilizar esses dias, você vai vir para cima com mais de 50 dias necessários para o Pentecostes / Shavuot para chegar no "dia do sétimo sábado.

Assim, Lunar sábado mantendo novamente contradiz as escrituras.

Dado Histórico

    Informação histórica pode ser útil se estamos a tentar discernir a verdade de algo que não parece muito claro para nós a partir de escritura. Embora eu acredite que as escrituras falam claramente sobre o sétimo dia de sábado sempre que ocorre a cada sétimo dia, fazendo referência a obras históricas pode ser útil para alguns que ainda não estão convencidos.

Guardadores do sábado Lunar gostam de citar algumas referências enciclopédicos que dizem que a semana foi originalmente ligada ao ciclo lunar. Se confiar em tais Enciclopédias para nos informar sobre dados históricos, podemos realmente saber se a lua tivesse algo a ver com a criação das semanas.

Mas a verdade é que a maioria dessas referências são muito antigas e estão confiando teorias que têm a sua base na idéia de que a Bíblia não era o autor e inspirado pelo Senhor.

Em vez disso, esses artigos são geralmente escritos por pessoas que têm o mesmo dados históricos que fazemos, mas eles geralmente nem mesmo acreditam nas escrituras, e ver o Senhor para ser apenas mais um desses "deuses da guerra tribais." Porque eles não acreditam nas escrituras, eles fazem afirmações como o sábado foi originalmente ligada à lua. Isto é devido a uma suposição de que os filhos de Israel pegou guarda do sábado de estar em Babilônia, ou alguma outra cultura pagã que pode ter usado a lua na criação observâncias mensais.

Ao pesquisar o tema historicamente, não precisamos de ir mais longe na história do que o período de tempo que Yahushua o Messias nasceu. Nós sabemos que Ele manteve o dia de sábado e sabemos que Ele manteve-o no mesmo dia que o resto dos judeus em Seu dia. por exemplo:

Lucas 4:16 Então, Ele veio a Nazaré, onde tinha sido criado. E, como seu costume, entrou na sinagoga no dia de sábado, e levantou-se para ler.

Os discípulos do primeiro século também fez o mesmo:

Atos 17: 2 Então Paulo, segundo o seu costume, foi ter com eles; e por três sábados discutiu com eles as Escrituras,

Então, para mim a questão é se existem ou não quaisquer primeiras testemunhas oculares do século que podem nos esclarecer sobre se os judeus daquela época guardava o sábado pela lua, ou por um período de sete dias da semana recorrente.

Podemos encontrar uma resposta clara a esta pergunta? Absolutamente.

Para encontrar uma resposta clara a esta pergunta, vamos examinar o Talmud, Pergaminhos do Mar Morto, Josephus e vários historiadores romanos e escritores da época.

1. O Talmud

Primeiro de tudo, por favor, entenda que eu não acredito em seguir o Talmud ou olhando para ela como sendo autoritária para a doutrina .

Estou não vai usá-lo para fins de me dizer como ou quando a guardar o sábado, exceto que eu sei que o Messias estava de acordo com o sábado semanal de primeiro século judaísmo. Portanto, só vamos usar o Talmud para nos ajudar a entender o que vistas de 1º e 2º século judaísmo realmente eram.

O Talmud é uma boa fonte porque, embora ele foi compilado cerca de 130 anos após a destruição do templo e de Jerusalém, partes dele agir como uma referência histórica para as coisas que estavam acontecendo quando o templo ainda estava de pé.

O Talmud é composto por três partes. Existe a Mishná, que é o ponto focal central de todo o Talmud. Há o Gemara, que é um comentário sobre a Mishná. Depois, há o comentário de Rashi sobre ambos.

A Mishná simplesmente registra as crenças do primeiro século judaísmo. Ele fala muitas vezes sobre os pontos de vista dos dois estudiosos judeus chamados Shammai e Hillel. Eles eram líderes de dois (muitas vezes opostos) escolas de pensamento, chamados de "casas". Hillel e Shammai viveu entre c. 50 aC a 50 dC por isso eles estavam vivos durante o ministério de Yahushua sobre a terra.

O Talmud registra alguns 300+ diferenças de opinião entre as duas casas. No judaísmo, a vista da casa de Hillel ( Beth Hillel ) geralmente prevaleceu sobre os pontos de vista da casa de Shamai ( Beth Samai ).

Como você vai ver, o Talmud é bastante claro que o sábado Lunar não foi observado por Beth Hillel, Beth Samai, ou qualquer homem judeu vivendo no primeiro século.

Em nosso primeiro exemplo, vamos examinar uma diferença de opinião entre Hillel e Shammai bênção sobre o que precisava ser recitado se a "lua nova cai em um sábado."

"R. Zera respondeu:. A Lua Nova é diferente de um festival - Desde a sua menção está incluída na bênção sobre a santidade do dia, de manhã e à noite preces também está incluído no da oração adicional Mas fazer Beth Samai ? sustentar a visão de que a menção da Lua Nova é para ser incluído Porventura não de fato ensinou: Se um Lua Nova cai em um sábado , Beth Samai governou: Uma recita em sua oração adicional oito bênçãos e Beth Hillel governou: Seven? Esta é certamente uma dificuldade ". Talmud - Mas. Eiruvin 40b

Claro, se eles estavam guardando o sábado lunar, a Lua Nova nunca pode cair em um sábado porque o sábado Lunar é nunca no primeiro dia do mês. Esta diferença de opinião não teriam sido registadas se eles guardavam o sábado Lunar.

Em seguida, veremos que a Mishná registra o que os primeiros sacerdotes do templo do século fez com as porções não-carne do cordeiro pascal:

"Mishná . Os ossos e os tendões, eo Nothar do cordeiro pascal são para ser queimado no dia dezesseis. Se o XVI cai no sábado , eles são para ser queimado na XVII, porque não quer substituir o sábado ou o festival ". Talmud - Pesachim 83a

Com o Sábado Lunar, não há tal coisa como o décimo sexto dia do mês cair no sábado. Estes não são os homens que estão tentando descobrir como encaixar um sábado semanal para a vida da Babilônia, é uma referência aos actos de primeiro século sacerdotes que certamente não guardam o sábado Lunar. Estas são as práticas observadas durante a era do templo quando Yahushua e seus discípulos viveram.

A Mishná também registrou a seguinte regra a respeito das ofertas de cereais:

"Mishná . Um homem pode oferecer uma oferta de cereais que consiste em 60/10 e trazê-los em um recipiente se um homem disse, eu tomar sobre mim para oferecer 60/10, ele pode levá-los em um recipiente. Mas se ele disse, eu tomo sobre mim mesmo para oferecer 61/10, ele deve trazer sessenta em um navio e um em outro navio, pois uma vez que a congregação trazer no primeiro dia da festa dos tabernáculos, quando cai em um sábado 61/10 como uma refeição -offering, é o suficiente para um indivíduo que a sua oferta de cereais ser menos de um décimo do que a da congregação ". Talmud - Menachoth 103b

Obviamente, este é um registro do que aconteceu enquanto o templo ainda estava de pé, pois após esse tempo, não haveria lugar para levá-la. Com um sábado lunar, nunca há um momento em que o primeiro dia da festa dos Tabernáculos cai em qualquer dia que não o sábado (dia 15 do sétimo mês).

Obviamente, as práticas registrados de primeiro século judaísmo enquanto o templo ainda estava indicam que eles não guardará um sábado Lunar. Eles mantiveram o sábado em um, sete dias por semana recorrente da mesma forma que é dada em Gênesis capítulo 1, independente do ciclo da lua. Portanto, uma vez que Yahushua guardou o sábado junto com o resto dos judeus desse período, ele não participou em um sábado Lunar, uma doutrina que não parece existir no judaísmo na época.

Gostaria também de mencionar que, se você já leu o Talmud em profundidade, você vai sair com uma impressão clara: Eles debateram sobre quase tudo . Algo tão importante como uma mudança em quando o sábado é observado deveria ter sido pelo menos debatido em algum lugar. Afinal, eles debateram cada pequena ponta fina da lei! A falta de um tal debate fala volumes.

2. Os Manuscritos do Mar Morto e de Josefo

Os Manuscritos do Mar Morto são considerados pelos estudiosos para ser de autoria dos essênios, uma seita no primeiro século judaísmo. Nos Manuscritos do Mar Morto, há uma série de pergaminhos extra-bíblicas que aparecem para lançar luz sobre o que esta seita acreditavam e praticavam. Entender o que eles acreditavam que pode ser útil para determinar se ou não o sábado Lunar estava sendo observado pelo judaísmo mainstream do que o tempo.

É geralmente pacífico (mesmo por sabatistas lunares) que os autores destes pergaminhos não guardará um sábado Lunar . Em vez disso, o rolo de calendário mostra que eles observaram um ciclo semanal sete dias recorrente, independente das fases da lua. Eu sei de ninguém que contesta. O calendrical Scroll e as Canções do Sacrifício sábado confirma isso.

Claro, Lunar sabatistas geralmente ensinam que esta seita judaica estava errado sobre o sábado.

Mas no livro de Josefo, ele fala muito sobre os essênios. Josefo era um historiador judeu do século primeiro que escreveu muito sobre a vida na Judéia durante o primeiro século. Ele entra em grandes detalhes sobre a forma como as práticas dos essênios eram diferentes do que outros. Ele menciona tudo, desde como os essênios não levar nada com eles quando viajam, a forma como eles consideram óleo a ser contaminação. Na Guerra dos Judeus 2: 119-161, Josephus fala deles em palavras não inferior a 2000, descrevendo mais de 100 características de seu modo de vida.

Então, se Josefo mencionar que eles guardavam o sábado em um dia que era diferente do que o resto do judaísmo?

Guerra dos Judeus 2: 147 ... Além disso, eles são mais rigorosos do que qualquer outro dos judeus no descanso de seu trabalho no sétimo dia ; para eles não só obter a sua comida pronta no dia anterior, de que eles não podem ser obrigados a acender um fogo naquele dia, mas eles não se moverá qualquer navio para fora do seu lugar, nem ir para fezes no mesmo.

Neste, Josephus vai ainda mais longe ao dizer que os essênios são " mais rigorosa do que qualquer outro dos judeus no descanso de seu trabalho no sétimo dia. " Isso soa como se houvesse qualquer discordância a respeito de quando o sábado foi? Não seria estranho que Josephus gostaria de mencionar que os essênios eram mais rigorosas em seu repouso de trabalho no sábado, mas não se preocuparam em mencionar que os essênios realizada no sábado em um dia totalmente diferente do que os outros judeus desse período?

O fato é que, se os essênios estavam mantendo um dia diferente do que o resto do judaísmo, Josephus não teria sido capaz de dizer que eles estavam ainda descansando no sétimo dia para começar . Ele teria que dizer que eles eram tipicamente descansando em algum outro dia.

Não há registro nos Manuscritos do Mar Morto dos essênios que discordam com outros grupos a respeito de quando o sábado era. Na verdade, não há nenhum registro histórico de quaisquer seitas judaicas em desacordo uns com os outros sobre quando o sábado era.

Em outra nota interessante, Josephus fala de uma das grandes torres que foram construídas em Jerusalém:

Guerra dos Judeus 4: 582 eo último foi erguido acima do topo da Pastophoria, onde um dos sacerdotes ficou claro, e deu um sinal de antemão com uma trombeta, no início de cada sétimo dia , no crepúsculo da noite, como também a noite quando esse dia terminou, como um pré-aviso para o povo quando eles estavam a parar de trabalhar, e quando eles estavam para ir trabalhar novamente.

Assim, o seu relatório é que uma trombeta foi explodido no início de cada sétimo dia , para marcar quando as pessoas devem parar de trabalhar, e começar a trabalhar. Como uma nota interessante, achados arqueológicos concordo com os comentários de Josefo sobre o lugar da alardeando:

"Quando nós escavado a rua herodiano lindamente pavimentado ao lado da parede sul e perto do canto sudoeste do Muro sanitário, encontramos um particularmente grande bloco de pedra de cantaria. No interior havia um nicho onde um homem podia ficar de pé, especialmente se a cantaria se juntaram . para outro que seria ampliar o nicho
Do lado de fora havia uma inscrição em hebraico com cuidado e elegância incisão: LBYT HTKY 'H LHH [Ryz]; "Para o lugar do toque de trombeta para (declarar)." Se a restauração do mundo "declarar" está correta, o resto da parte que falta da inscrição, provavelmente, passou a nos dizer mais sobre a declaração de início e no fim do sábado.
A pedra tinha sido derrubado durante a destruição romana do Templo para a rua abaixo onde ele tinha ficado por quase dois mil anos, até que descobrimos isso.
Deve ter vindo originalmente do pináculo do canto sudoeste do Monte do Templo. A partir de um ponto no topo das câmaras do templo um padre iria explodir uma trombeta no sábado véspera, para anunciar . a chegada do sábado ea cessação de todo o trabalho, e de anunciar, na noite seguinte, a partida do sábado ea retomada de todo o trabalho
A cidade inteira era visível a partir deste ponto no canto sudoeste do Monte do Templo; o toque de clarim da trombeta ia atingir os mercados mais distantes da cidade. Essa cena é contada por Josefo em sua obra, A Guerra Judaica. (IV, 582) "Editor, HS 2004;. 2004 BAR . 06:04 (julho / agosto 1980) Biblical Archaeology Society

Josefo também registra que Agatharchides, um historiador grego segundo século aC, escreveu algo muito interessante sobre a derrota de Jerusalém de Ptolomeu:

Contra Apion 1: 208 " Quando Agatharchides tinha como premissa desta história, e tinha brincou sobre Stratonice para ela superstição, ele dá um exemplo de como o que foi relatado a nosso respeito, e escreve assim: -
209 `` Há um povo chamado judeus, e morar em uma cidade a mais forte de todas as outras cidades, que os moradores chamam de Jerusalém, e estão acostumados a descansar em cada sétimo dia ; em que vezes eles não fazem uso de seus braços , nem se meter com criação, nem cuidar de todos os assuntos da vida, mas se espalhar suas mãos em seus lugares sagrados, e orar até à noite.
210 Ora, veio a passar, que quando Ptolomeu, filho de Lagus, veio para esta cidade com seu exército, que esses homens, em observar esta personalizado louco deles, em vez de guardar a cidade, sofreu seu país para submeter-se a um senhor amargo; e sua lei foi abertamente provado ter comandado uma prática insensata "

Ptolomeu foi o general de Alexandre, o Grande, que assumiu a Jerusalém em 332 aC. Nós vemos que os judeus não se defenderiam ou pegar em armas no sábado, que era "cada sétimo dia."

Se eu fosse para descrever as práticas de manutenção de sábado Lunar sabatistas, eu certamente não descrever seu guarda do sábado como algo que eles fizeram "cada sétimo dia." Em vez disso, gostaria de mencionar que eles só guardará um sábado em determinados dias do mês. Portanto, é evidente que Josefo estava descrevendo a prática projetada para nós "no início", quando Elohim criou a primeira semana e que é para descansar a cada sete dias, sem interrupções lua.

3. Os historiadores romanos e Escritores

Parece haver uma tendência entre os guardadores do sábado Lunar para se referir a pessoas como eu que guardará um sábado semanal recorrente como "guardiões Sátiro Dias" - como se estamos a seguir a uma semana pagã romana, em vez de semana em que eles acreditam ser nas escrituras.

A verdade é que os judeus não queriam que o sábado santo para ser associado com "Saturno", um ídolo que não tinha nada a ver com o judaísmo. O nome "Saturday / Dia de Saturno" originou-se com os pagãos, não com os judeus. Os judeus se referem repetidamente e de forma inequívoca para o sétimo dia da semana como "o sábado."

No entanto, quando se trata de determinar se ou não os judeus do primeiro século guardou o sábado usando o sábado ou Lunar, como eu acredito, um sábado semanal recorrente, examinando os registros de historiadores romanos e outros escritores pode ser útil. Pela admissão de guardiões Lunar sábado, eo registro histórico claro, os romanos não seguiu as fases da lua para determinar as semanas, ou mesmo meses para que o assunto.

Por esta razão, podemos olhar para os escritos de historiadores romanos e outros escritores para ver se os romanos associado o sábado judaico com seu "Saturday / Dia de Saturno". Se eles fizeram associar o sábado com o seu Dia de Saturno no primeiro século ou antes, esta seria uma evidência inegável de que a semana judaica e da semana romana foram mantidos no mesmo ciclo semanal recorrente.

Como veremos nesta seção, não há dúvida de que os historiadores romanos e outros escritores explicitamente e repetidamente considerar o tempo de guarda do sábado judaico a ser vinculado com o sétimo dia da semana romana, que foi um ciclo de sete dias repetindo, independente da as fases da lua.

70-84 CE (AD)

Frontinus, um soldado romano que viveu entre c. CE 40 a 103 dC, escreveu livro sobre estratégia militar chamado Strategematicon em 84 dC No livro, ele escreve:

"O endeusado Augustus Vespasiano atacaram os judeus no dia de Saturno, um dia em que é pecaminoso para eles fazerem qualquer negócio." Frontinus Stratagem 2.1.17 .

A versão original em latim deste livro tem "Saturnis" para Saturno, confirmando que os romanos associado o dia de sábado com o seu "dia de Saturno." É esta associação que resultou no sétimo dia da semana moderno que está sendo chamado de "Satur-dia."

Uma vez que este livro foi escrito uns meros 14 anos após a destruição de Vespasiano (Tito) de Jerusalém, isto é isto é obviamente muito forte evidência histórica diretamente de uma testemunha ocular primeiro século, amarrando no sábado com "dia de Saturno (sábado)."

63 aC - 229 dC

Cassius Dio, um historiador romano que viveu de ca. 155-229 CE, usando os anais históricos do Império Romano, escreveu cerca de 3 batalhas que o império romano tinha com os judeus.

A primeira batalha foi durante uma época em que a Hircano II e Aristóbulo II, dois irmãos que eram os filhos dos Macabeus, estavam envolvidos em uma disputa sobre quem iria governar. Os romanos, por meio das ações de Pompeu, entrou e resolveu a controvérsia, o tapume com Hyrcanus. Ao falar da batalha de Pompeu, o sábado é mencionado.

O cenário é 63 aC :

"A maior parte da cidade, com certeza, ele tomou sem nenhum problema, como ele foi recebido pelo partido de Hyrcanus; mas o próprio templo, que a outra parte tinha ocupado, ele capturou apenas com dificuldade.
Pois foi em terreno alto e foi fortalecido por uma parede de sua própria, e se tivessem continuado defendê-la em todos os dias da mesma forma, ele não poderia ter conseguido posse dela .  Como era, eles fizeram uma escavação dos que são chamados os dias de Saturno, e por fazendo nenhum trabalho em tudo nesses dias os romanos oferecidas uma oportunidade neste intervalo para derrubar a parede .  O último, sobre a aprendizagem deste temor supersticioso deles, fez nenhuma tentativa séria no resto do tempo, mas nesses dias, quando que eles vieram todo em sucessão, assaltado mais vigorosamente.  Assim, os defensores foram capturados no dia de Saturno, sem fazer qualquer defesa , e toda a riqueza foi saqueada.  O reino foi dado a Hircano, e Aristóbulo foi levado. " Cassius Dio Roman História 37.16.1-4




Então, os romanos aproveitaram o fato de que os judeus não iria trabalhar no sábado. Quando foi o sábado? Mais uma vez, o sábado semanal coincide com os romanos "dias de Saturno."

A segunda batalha listados por Cassius Dio ocorreu em 36 aC , é a que resultou no primeiro rei Herodes chegada ao poder:

"Os judeus, de fato, tinha feito muito prejuízo para os romanos, mas eles sofreram muito mais a si mesmos.
O primeiro deles a ser capturado eram aqueles que estavam lutando para a delegacia de seu deus, e depois o resto do dia até então chamado o dia de Saturno .
E assim foram eles excessiva em sua devoção à religião que o primeiro conjunto de prisioneiros, aqueles que tinham sido capturados junto com o templo, a licença obtida a partir Sosius, quando o dia de Saturno deu a volta novamente, e subiu o templo e lá realizada todos os ritos habituais, juntamente com o resto das pessoas .
Essas pessoas Antony confiadas a um determinado Herodes para governar , mas Antígono ele vinculado a uma cruz e açoitado, - um castigo nenhum outro rei tinha sofrido nas mãos dos romanos, - e depois o matou ". Cassius Dio Roman História 49.22.4-6
Note que Cassius Dio relata os judeus como manter "ritos habituais" no templo no "dia até então chamado Dia de Saturno ". Isso indica que o sábado não só foi chamado o "Dia de Saturno" durante sua vida, mas foi chamado o "Dia de Saturno" de volta em 36 aC, bem antes de Yahushua nasceu em Belém.
Em seguida, ele registra que a destruição de 70 CE Jerusalém foi no sábado, que mais uma vez ele chama de "dia de Saturno:"

70-229 CE

Assim foi destruído Jerusalém no dia de Saturno, o dia que ainda agora os judeus reverenciam mais .
Daquele tempo em diante foi ordenado que os judeus que continuavam a observar seus costumes ancestrais devem pagar um tributo anual de dois denários para Júpiter Capitolino.
Em consequência deste sucesso ambos os generais recebeu o título de imperator , mas também não tem essa de judaicus , apesar de todas as outras honras que foram ajustadas por ocasião de tão magnífica vitória, incluindo arcos triunfais, foram votados para eles. Cassius Dio Roman História 65.7.2
Assim, o seu relatório é que os judeus guardavam o sábado no "dia de Saturno", de 63 aC até sua época, o mais tardar em 229 CE. Seu relatório também concorda com conta Frontinus 'da batalha de 70 CE.
c. 100 CE

O historiador Cornélio Tácito (ca. 56CE - ca. 117CE), depois de sugerir que os judeus guardavam o sábado por preguiça, também associado o sábado com o ídolo romano, Saturno:

Eles são disse ter dedicado o sétimo dia para descansar, porque naquele dia trouxe um fim a seus problemas. Mais tarde, encontrando ociosidade fascínio, eles desistiram do sétimo ano, assim como para a preguiça.
Outros sustentam que eles fazem isso em honra de Saturno ; ou porque seus princípios religiosos são derivados do Idaei, que é suposto ter sido expulso com Saturno e se tornar os ancestrais do povo judeu; ou então porque, dos sete constelações que regem a vida dos homens, a estrela de Saturno se move na órbita mais alta e exerce uma influência peculiar, e também porque a maioria dos corpos celestes se movem em volta de seus cursos em múltiplos de sete. a partir das histórias , Livro V

Mais uma vez, o fato de que um pagão associado guarda do sábado com Saturno demonstra que o dia do semana romano de Saturno (Satur-dia) foi concomitante com o que o Senhor chama o dia de sábado. Tácito é uma testemunha ocular a partir do primeiro século que não tem "machado para moer" em relação a quando o sábado deve ser observado. Ele escreveu este uns meros 30 anos após a destruição do templo em Jerusalém.

28 aC a 1 aC

Tibullus, um poeta latino que viveu de 54 aC - 19 aC, faz referência o sábado em uma de suas Elegias. O poeta é citado por J. Michael Hugh em seu artigo intitulado " The Jewish sábado na Escritores latim clássico . " Neste artigo Journal, ele diz:

. "Tibullus, mais uma vez, nos dá um vislumbre da influência do sábado em que os romanos O Poeta, doente em uma terra estrangeira, se queixa de sua solidão, nem mãe, nem irmã tem ele lá para cuidar dele, nem é Delia com ele- . -Ela que havia perguntado de todos os deuses antes de permitir que ele deixasse a cidade Diz Tibillus:

Todos prometeu um retorno; Ainda não fez nada ficar-la de olhar para trás em lágrimas e terror em minha jornada. Sim, eu seu edredom, depois que eu tinha dado a minha carga de despedida, ainda procurado na minha inquietação por razões a relaxar e atraso. Ou os pássaros ou palavras de mau presságio eram meus pretextos, ou havia o santo dia de Saturno para me deter. (Livro I, Eleg. Iii 13-18 na tradução de Postgate na Loeb Classics.)

O dia do qual o poeta fala é, naturalmente, o sábado, ou, como Postgate coloca, "o sábado judaico, no qual nenhum trabalho era para ser realizada", ea implicação é clara falta de vontade de que partiu em uma viagem no dia de sábado não era coisa incomum entre os habitantes de Roma, para Tibullus é enumerar as razões comuns para o adiamento das viagens da qual ele era sempre pronto para aproveitar a si mesmo. " O sábado judaico no latim clássico Escritores . J. Michael Hugh Victoria College, Toronto, Canadá. O American Journal of semitas Línguas e Literaturas , Vol. 40, No. 2. (janeiro de 1924), pp. 117-124.

É interessante que romanas de teria qualquer preocupação em tudo sobre a viagem no sábado. J. Michael Hugh faz referência a outra escrita pelo poeta Ovídio, que viveu de 43 aC a 17 dC:

Ainda mais impressionante é o testemunho de Ovídio. No Ars Amatoria ele instrui o jovem romano que está desejoso de encontrar um objeto para seus afetos como ele deve definir sobre a sua busca.
A busca não precisa levá-lo longe de um campo:. não há nenhuma falta de donzelas adequados em Roma
O poeta ainda especifica as partes de Roma, onde a busca da juventude amorosa é mais provável de ser coroada de êxito: ele não deve negligenciar "(Adonis lamentou de Vênus, ou o sétimo dia observado como santo pelo judeu sírio ".
A primeira parte deste direção só pode significar que a juventude deve visitar o Templo de Vênus quando sua dor para Adonis foi comemorado no aniversário da sua morte.
Da mesma forma a segunda parte deve significar que ele deveria assistir aos serviços sabáticos detidos nas sinagogas judaicas.
É possível anexar qualquer outro significado para o conselho que a juventude não deve evitar o sétimo dia observado pelo judeu sírio?
E o sentido não é o conselho, a menos donzelas romanos tinham o costume de assistir esses serviços?
Não é fácil pensar que era o intenção do poeta que o jovem romano deve tornar-se enamorado de uma judia! O sábado judaico no Writers latim clássico . J. Michael Hugh Victoria College, Toronto, Canadá. O American Journal of semitas Línguas e Literaturas , Vol. 40, N ° 2 (Jan., 1924), pp. 117-124

O trabalho que as referências J. Hugh Michael, Ars Amatoria , foi escrito em cerca de 1 AEC. Assim, é evidente que mesmo os romanos foram associando o sétimo dia de sua semana romano com o sábado. É também evidência histórica de que eles foram observando uma semana sete dias nessa altura. Mas foi a guarda do sábado realmente esta amarrado em sua cultura?

119 CE

O sábado parece estar intimamente entrelaçada com o ciclo semanal dos romanos do primeiro século. Isto é evidenciado pelos escritos de Suetônio. Suetônio (ca. 69CE - 130CE) foi um historiador romano que escreveu "Vidas dos doze Césares" em 119 CE. Ao descrever a vida de Tibério César (14-37 dC), ele escreveu ::

"O gramático Diógenes, que costumava dar palestras cada sábado em Rhodes, não iria admitir Tibério, quando ele veio para ouvi-lo em um dia diferente, mas enviou uma mensagem por um escravo comum dele, colocando-o para o sétimo dia . Quando este homem esperou diante da porta do imperador em Roma para pagar seus respeitos, Tibério tomou nenhuma outra vingança do que oferecê-lo voltar sete anos depois ". Suetônio A Vida de Tibério 32,2

Rhodes foi um grande centro de escolaridade para as famílias romanas. É interessante que o sétimo dia é referido como o "Sábado" ( latim: sabbatis ) na literatura romana, especialmente quando ela é escrita por um historiador pagão que foi ainda o secretário do imperador romano por um tempo ( verbete da Wikipedia sobre Suetônio ) .

Parece que as referências de Hugh J. Michael aos poetas romanos, assim como esta referência de Suetônio, é um forte indício de que o sábado do sétimo dia se tornaram mais amarrado em sociedade romana do que a maioria das pessoas imagina. Possivelmente, esta é uma das razões Josephus disse:

" As massas têm demonstrado desde há muito um profundo desejo de adotar nossas observâncias religiosas , e não há uma única cidade, grego ou bárbaro, nem uma única nação, para que o nosso costume de se abster de trabalho no sétimo dia não se espalhou e onde a nossa . jejuns e a iluminação de lâmpadas e muitos dos nossos proibições em matéria de alimentos não são observados Apion 2: 282-283

Em consideração a estas coisas, parece-me que os romanos pegou os sete dias da semana recorrente dos judeus, e não o contrário. Por cinco séculos ou mais os romanos tinham mantido uma semana oito dias com os dias de ser nomeado pelas letras do alfabeto de A a H. Eles não manter uma semana de sete dias, até que veio em mais contato com a guarda do sábado judeus nos primeiros séculos AEC.

O fato de que eles chamaram os dias da semana depois de vários ídolos planetários não prova que eles se originaram a sete dias por semana recorrentes. A nomeação dos dias após os ídolos planetários parece ter se originado tanto com os babilônios ou a civilização hindu, e não os romanos.

Então, se você é um goleiro Lunar sábado, a pergunta óbvia para você é: "Se os judeus no primeiro século guardou o sábado Lunar, e só mais tarde adotou o que vocês chamam de" semana romana, 'por que o primeiro século os romanos continuam a dizer o sábado judaico está no seu "dia de Saturno (sábado)?" A resposta óbvia à pergunta óbvia é que o primeiro século judeus, incluindo Yahushua o Messias e Seus discípulos, manteve o mesmo recorrente sete dias por semana como os romanos. É fato histórico que a mesma semana e dia sequência existe até hoje e não mudou. Senhor preservou Seu santo sábado!

Conclusão

    Historicamente, os detentores Lunar Sabbath acreditam que o sábado lunar foi observado por primeiro século judaísmo, mas foi perdido algum tempo após a destruição do templo de Jerusalém. Mas mesmo que se rejeita todas as evidências em contrário, afigura-se quase impossível para todos os guarda-redes Sabbath espalhados por todo o mundo a cair simultaneamente um suposto "Lunar sábado", tudo sem um traço de evidência de uma mudança tão dramática. O registro histórico claro é que os judeus do primeiro século guardou o sábado assim como nós, em uma semana sete dias recorrente.

Biblicamente, você pode olhar do Gênesis ao Apocalipse, mas você não vai encontrar um único mandamento para manter o "Sábado Lunar." Assim como o Senhor garantiu que sua palavra inspirada não foi perdido na antiguidade, Ele também protegeu Seu santo sábado. Adam mantido ele, Noah manteve, Abraão, Isaac e Jacó manteve. Josué manteve-lo, os juízes justos e reis manteve. Os profetas do Senhor manteve-lo, os exilados que foram muito meticuloso sobre o sábado manteve-lo, e nós sabemos que Yahushua e seus discípulos manteve, provando que o Senhor preservou o Seu sábado até o século 1 dC. O mesmo é verdade hoje. O Senhor tem preservado Sua Palavra, o Seu Nome, e Seu sábado para nós hoje. Vamos abandonar quaisquer ensinamentos que gostaria de chamar qualquer um de distância do exemplo que Ele estabeleceu em Gênesis capítulo 1 e 2.





Perguntas e Respostas sobre o sábado Lunar


1) Por favor, explique Ezequiel 46: 1 - como pode o portão ser aberto e fechado ao mesmo tempo?

Este se baseia na premissa de que deve haver sempre seis dias úteis consecutivos sem interrupção. Mas se você guardar o sábado Lunar ou semanal recorrente sábado, os seis dias de trabalho será interrompido por festas como o último dia dos pães ázimos, que cai no dia 21 do primeiro mês e no Dia da Expiação, que recai sobre o 10º dia do sétimo mês.

O ponto era que as portas estariam abertas quando as pessoas se reuniram para o culto. O sábado e Lua Nova são as exceções regulares para o portão ser fechada, mas há outras exceções, independentemente de se você acredita ou não em um sábado semanal recorrente. Assim, Ez. 46 não prova nada de qualquer maneira.

2) Como é que a profecia em Lam. 2: 6 aplicam-se ao sábado e as festas das Yahudim?

Eles foram esquecidos na "Tsion" porque eles foram levados para o cativeiro, a mesma coisa que está de luto sobre Lamentações.

3) Por que eles não podiam esperar para o sábado e Luas Novas para ser mais em Amos 8: 5, se somos livres para comprar e vender nas luas novas?

Amos teria sido referindo-se a lua nova do sétimo lua nova do ano, que é a festa das trombetas. Esta é a única lua nova na escritura onde o trabalho é expressamente proibido por isso Amos estaria se referindo a isso.

4) Explicar as ofertas para diária, sábados, luas novas; Num. 28: 4-15; Por que não há provisões para novas ofertas de lua que caem sobre as ofertas Sabbath ou Sabbath que se enquadram em uma lua nova?

Há não precisa ser. Uma seria apenas executar qualquer ofertas eram necessários para o tipo de dia que era.

5) O Salmo 81: 3 - por favor, explique. Na comparação com o Genesis e eles são para os sinais. Moedim. É a lua cheia no dia do festival e se é como você começa para a lua cheia em 15 dias que começa com a lua crescente?

A lua cheia ocorrerá durante o 15º dia do mês, se entendermos o crescente para ser a lua nova.

Ir para http://www.eliyah.com/moon.html e para Ava, Missouri olhar para a fase da lua para a noite de 1/19/07, que nos dá uma lua nova em 1/20/07. Agora faça o mesmo para 2/2/07. Naquela noite a lua está na iluminação de 100%. Tenho notado isso várias vezes durante a minha própria manutenção de festas.

Agora vá e olhar para a lua nova astronômica para 3/18/07. Observe que é a 9:44 para que põe dia da lua nova do detentor conjunto em 3/19/07. Agora olhar para cima os dados para 4/1/07 para ver o que a lua vai olhar como na noite em que começa 4/2/07, dia 15 do detentor conjunto do mês (e Festa dos Pães Ázimos, na verdade). Observe que é a iluminação de 96%, não uma lua bastante completo ainda.

6) Por favor, explique Amos 5: 25-27 - que é Sikkuth e Kiyyun eo que exatamente é este poderoso astral (estrela g * d) e que isso se correlacionam com Satyr-dia?

Kiyyun era um ídolo babilônico. Será que eles não manter uma semana Lunar? Na minha cabeça, isso não é relevante para qualquer coisa. Os romanos costumavam chamar o sétimo dia da semana, o "Dia de Saturno", mas os judeus sempre o chamou de "Shabat".

7) Quando o Senhor lhes ordenara a marchar ao redor das muralhas de Jericó por sete dias, que não iria ter sido violar o sábado?

Não. A coisa a lembrar sobre cidades antigas na terra de Israel é que eles geralmente coberto relativamente pequeno pedaço de terra. Antiga davídica Jerusalém era apenas cerca de 12 hectares de tamanho e tinha uma população de cerca de 2000. Isso aumentou para cerca de 32 acres em tamanho sob o domínio de Salomão, com uma população de cerca de 5000. Achados arqueológicos indicam que Jericho foi relativamente pequeno em tamanho:

"Escavações arqueológicas indicam as muralhas de Jericó antiga fechado uma área de cerca de 5 a 6 hectares de tamanho." ( John Garstang, "The Walls of Jericho. O Marston-Melchett Expedição de 1931," PEFQS 1931, p. 186).

À luz disto, uma pessoa que anda em torno das muralhas de Jericó seria preciso caminhar cerca de 700 jardas max. O tradicional "dia do Sabbath viagem" mencionado em Atos 1:12 é de cerca de 1000-1200 jardas.